Click here to close now.

Welcome!

IBM Cloud Authors: William Schmarzo, Liz McMillan, Elizabeth White, Pat Romanski, Yeshim Deniz

News Feed Item

Lenovo informa resultados do segundo trimestre de 2012 e 2013

A Lenovo Group informou hoje os resultados de seu segundo trimestre fiscal encerrado em 30 de setembro de 2012. Superando o mercado em todas as áreas geográficas, a Lenovo continuou seu esforço para se tornar o fornecedor principal na indústria de computadores, com recorde de vendas trimestrais de US$ 8,7 bilhões, um aumento de 11% em relação ao ano anterior. Crescendo mais rapidamente do que as quatro principais empresas de computadores por três anos consecutivos, a Lenovo também obteve outro recorde trimestral de US$ 204 milhões antes dos impostos, prova de que a empresa continua a se beneficiar do seu histórico de crescimento lucrativo.

Durante o segundo trimestre fiscal, as remessas de computadores da Lenovo no mundo cresceram 10,3%, num mercado difícil que teve redução de 8% em relação ao ano anterior, o 14º trimestre consecutivo em que a empresa cresceu mais rapidamente do que a indústria de computadores como um todo. Neste ambiente estimulante, a Lenovo alcançou sua fatia de mercado mais elevada no mundo de 15,6%*, ganhando pontos de participação em todas as regiões, com todas as categorias de produto em que compete e em todos os respectivos segmentos de clientes.

Este crescimento equilibrado tornou-se uma marca da Lenovo nos últimos três anos, e é o resultado do foco contínuo da empresa na sua estratégia de "proteger e atacar", em que a Lenovo reforça sua posição nos lugares ou mercados onde opera um negócio sólido e atinge simultaneamente novos lugares ou mercados onde se apresentam oportunidades para alcançar ainda mais clientes. Entrar nestes novos mercados é essencial para a Lenovo manter sua posição de liderança na era PC Plus onde os tablets, smartphones e smart TVs continuam a ganhar força e mantêm a aceitação recorde do cliente.

Além de impressionantes ganhos de fatia de mercado, a Lenovo comunicou um lucro líquido de US$ 162 milhões no segundo trimestre, um aumento de 13% em relação ao ano anterior, com margem bruta de 12,1%. O lucro bruto do segundo trimestre fiscal aumentou 11% em relação ao ano anterior, para US$ 1,1 bilhão, enquanto o lucro operacional do segundo trimestre foi de US$ 206 milhões, um aumento de 24% em relação ao ano anterior.

Os ganhos básicos por ação no segundo trimestre fiscal foram de 1,58 centavo de dólar ou 12,55 centavos de HK (dólar de Hong Kong). As reservas líquidas de caixa em 30 de junho de 2012 totalizaram US$ 3,6 bilhões. O conselho diretor declarou dividendos preliminares de 4,5 centavos de dólares de Hong Kong por ação.

Com a era PC Plus se concretizando, a Lenovo fez vários movimentos ousados durante o segundo trimestre fiscal para solidificar sua posição de liderança, anunciando duas aquisições importantes: A CCE, conhecida no Brasil como líder em computadores e eletrônicos de consumo, que amplia significativamente a presença da Lenovo no terceiro maior mercado mundial de computadores, incluindo capacidades de fabricação, e a Stoneware, empresa de software com sede em Indiana, com foco em computação em nuvem, vão ajudar a Lenovo a aumentar sua capacidade de ofertas comerciais e de consumo em nuvem, principalmente a capacidade de fornecer conteúdo seguro em vários dispositivos nos setores de educação e governo.

Duas semana atrás, a Lenovo anunciou uma parceria global com a EMC, criando um programa de desenvolvimento de tecnologia de servidor que vai ajudar a levar inovação e expandir os recursos da Lenovo com servidores padrão da indústria, de x86. Como parte do acordo, a Lenovo vai colocar esses servidores no mercado por conta própria e vai incorporá-los ao longo do tempo a sistemas selecionados de armazenamento da EMC. Na semana passada, a Lenovo anunciou a formação do Enterprise Product Group, uma nova unidade de negócios que vai se concentrar na expansão das ofertas de servidores, armazenamento, rede e software voltadas para uma variedade de clientes comerciais, incluindo grandes empresas, pequenas e médias empresas e integradores de sistemas.

Também durante o segundo trimestre, a Lenovo anunciou a abertura de uma linha de produção na Carolina do Norte, criando cento e quinze novos empregos na indústria, reforçando sua posição competitiva como empresa global, com fortes raízes locais.

"Com a forte execução de nossa estratégia de proteção e ataque, a Lenovo continuou sua dinâmica de crescimento forte e equilibrado. Nossa participação de mercado mundial de computadores atingiu uma outra alta histórica, deixando a empresa mais perto do nosso sonho de ser a líder mundial em computadores de mesa. Com o esforço de quatro anos, nosso negócio de computadores para o consumidor tornou-se o número um do mundo pela primeira vez neste segmento. Nosso negócio de smartphones na China, que começou há apenas dois anos, mais uma vez reforçou a posição da empresa como a segunda maior", disse Yang Yuanqing, presidente e diretor executivo da Lenovo. "Mais importante, não só crescemos rapidamente, mas também melhoramos nossa rentabilidade de forma consistente, com rendimento bruto atingindo um recorde neste trimestre. Como os mercados emergentes fora da China e de negócios maduros transacionais entraram em fase de crescimento rentável, e nossa linha de produtos digitais residenciais e de internet móvel (Mobile Internet and Digital Home, MIDH) continuam a crescer, a rentabilidade global da Lenovo continuará a melhorar."

VISÃO GEOGRÁFICA GERAL

  • A Lenovo China obteve US$ 3,9 bilhões em vendas consolidadas no quarto trimestre fiscal, um aumento de 20% em relação ao ano anterior, responsável por 44% do volume total de vendas da empresa em todo o mundo. Durante o segundo trimestre, a Lenovo assumiu a posição de principal fornecedora na China, alcançando uma fatia de mercado de 34%, um aumento de 2,4 pontos de ano para ano. As vendas de computadores da Lenovo na China tiveram um aumento de 8% no trimestre em relação ao ano anterior, um resultado significativo, considerando que o mercado de computadores na China estava estável. Sendo a principal fornecedora de computadores na China, as remessas de computadores da Lenovo são maiores do que a dos outros quatro principais fornecedores combinados. Vale observar que a Lenovo é uma força contínua em cidades emergentes da China, e a empresa continua a construir sua reputação com ofertas de produtos como smartphones, tablets e smart TVs, conduzindo os clientes da China para a era PC Plus.
  • Na região Ásia-Pacífico/América Latina, a Lenovo alcançou uma fatia de mercado de 11,5% no segundo trimestre fiscal, 1,6 pontos acima em relação ao ano anterior. Em um mercado de computadores que caiu 10% em relação ao ano anterior, a empresa aumentou suas remessas de computadores em toda a região em surpreendentes 5%. A Lenovo foi a vendedora líder de computadores no Japão, o quinto maior mercado de computadores do mundo, e também na Índia, onde a empresa cresceu 31,8% e ganhou 4,8 pontos de fatia de mercado em relação ao ano anterior. Nos países da América Latina (não incluindo o Brasil), a Lenovo registrou sua primeira fatia de mercado global de dois dígitos, apresentando 4,1 pontos de participação em relação ao ano anterior As vendas consolidadas de toda a região totalizaram US$ 1,8 bilhão para 21% das vendas mundiais da Lenovo.
  • Pela primeira vez, a Lenovo na Europa Oriente Médio e África alcançou participação de mercado de dois dígitos, encerrando o segundo trimestre fiscal a 10,8%, um aumento de 3,0 pontos de participação em relação ao ano anterior. Esses ganhos ajudaram a Lenovo a tornar-se a terceira maior fornecedora de computadores na Europa, Oriente Médio e África. Os ganhos das ações da Lenovo foram consistentes em toda a região, crescendo em todos os mercados. Entre os destaques do segundo trimestre estão as posições de principal empresa na Rússia e na Alemanha, onde a Lenovo ganhou 3,9 pontos de participação adicional em relação ao ano anterior. Apesar da redução de 8% da indústria em geral em toda a região, a Lenovo aumentou suas remessas de computadores em 27% em relação ao ano anterior, um resultado impressionante. A empresa obteve vendas consolidadas de US$ 1,8 bilhão no segundo trimestre, um aumento de 12% em relação ao ano anterior, e bom para 21% do total de vendas da Lenovo em todo o mundo.
  • As remessas de computadores da Lenovo na América do Norte no segundo trimestre fiscal aumentaram 8% em relação ao ano anterior, em um mercado que caiu drasticamente cerca de 12%. Nesse ambiente, a empresa aumentou 1,6 pontos de participação a uma quota recorde de mercado de 8,3% nos EUA. As vendas consolidadas do segundo trimestre aumentaram 7% em relação ao ano anterior para US$ 1,2 bilhão, ou 14% das vendas totais mundiais da empresa. Desencadeada por um aumento de dez vezes da sua presença no varejo nos EUA, a Lenovo viu ganhos significativos de vendas nos negócios de consumo. O crescimento da conta comercial foi igualmente forte na região.

VISÃO GERAL DO PRODUTO

  • Pela primeira vez, a Lenovo tornou-se a maior fornecedora mundial de notebooks. As vendas de notebooks da empresa em nível mundial no trimestre aumentaram 11,3% em relação ao ano anterior, o que ajudou a Lenovo a ganhar 2,6 pontos de participação e alcançar um alto recorde de participação de mercado de 16%. Na indústria, as vendas de notebooks diminuíram 7% em comparação com o ano anterior. Os notebooks da Lenovo continuaram a ser o produto de maior contribuição para as vendas da empresa em todo o mundo, gerando 53% da receita total de vendas da Lenovo. As vendas consolidadas dos negócios de notebooks da Lenovo em todo o mundo no segundo trimestre fiscal totalizaram US$ 4,6 bilhões, um aumento de 3% em relação ao ano anterior. Durante o segundo trimestre, a Lenovo anunciou uma impressionante variedade de novos produtos: ThinkPad X1 Carbon, ThinkPad T430u ultrabook, e ThinkPad Tablet 2, o primeiro tablet da empresa especificamente orientado para Windows 8. No mês passado, a Lenovo chamou a atenção da indústria com o anúncio de três novos conversíveis, Yoga 13, Lynx e Twist, tablets que viram, torcem, dobram e separam, e são projetados para o Windows 8.
  • As vendas consolidadas mundiais de computadores Lenovo Desktop tiveram um aumento de 5% no segundo trimestre fiscal, em relação ao ano anterior, alcançando US$ 2,8 bilhões, ou 32% da receita total de vendas da Lenovo. As vendas mundiais de computadores de mesa da empresa aumentaram 8,8% no segundo trimestre em relação ao ano anterior, em comparação com uma redução geral da indústria de 9% em nível mundial. Como resultado, a Lenovo ganhou 2,6 pontos de participação em relação ao ano anterior e alcançou um alto recorde de participação de mercado de 15%. Durante o segundo trimestre, a Lenovo anunciou seu novo IdeaCentre A520, um novo computador de mesa tudo-em-um com tela compacta de 23 polegadas 1080p, sem moldura, que suporta multi-toque com um ângulo de tela amplamente ajustável (de -5 a 90 graus plano) com imagem perfeita em qualquer ângulo para que os usuários possam assistir filmes, jogar jogos baseados em toque e desfrutar de bate-papos em vídeo, em qualquer posição.
  • Entrando no seu segundo ano completo de operações, o grupo Lenovo de produtos digitais residenciais e de internet móvel (Mobile Internet and Digital Home, MIDH) está avançando a passos largos, com vendas consolidadas de US$ 718 milhões, um aumento de 155% em relação ao ano anterior no segundo trimestre fiscal, e 8% das vendas totais da empresa. Com smartphones e tablets liderando a carga de PC Plus da empresa, a Lenovo continuou a superar o hiper-crescimento de vendas na China, e é agora a segunda maior fornecedora dessas categorias de produtos na China. A Lenovo ganhou uma incrível participação de 12,5 pontos em smartphones no segundo trimestre em comparação com o ano anterior para uma quota de mercado global de 14,2% na China. Durante o segundo trimestre, a Lenovo anunciou que vai começar a vender smartphones na Indonésia, Filipinas e Vietnã, e na semana passada, acrescentou a Índia.

SOBRE A LENOVO

A Lenovo (HKSE: 992) (ADR: LNVGY) é uma empresa de tecnologia pessoal de US$ 30 bilhões – a segunda maior empresa de computadores do mundo, atendendo clientes em mais de 160 países. Dedicados a produzir dispositivos de Internet móvel e PCs excepcionalmente projetados, os negócios da Lenovo são criados a partir de inovação de produtos, uma cadeia global de suprimentos altamente eficiente e forte execução estratégica. Formada com a aquisição da antiga divisão de computadores da IBM pela Lenovo Group, a empresa desenvolve, fabrica e comercializa serviços e produtos tecnológicos fáceis de usar, seguros, confiáveis e de alta qualidade. Suas linhas de produtos incluem os lendários computadores de consumo da marca Idea e os computadores comerciais da marca Think, além de servidores, estações de trabalho e uma família de dispositivos de Internet móvel que inclui tablets e smartphones. A Lenovo, uma empresa global Fortune 500, tem importantes centros de pesquisa em Yamato, Japão; Pequim, Xangai e Shenzhen, na China, e Raleigh, na Carolina do Norte. Para mais informações, confira www.lenovo.com.

*Veja os dados da IDC (International Data Corporation) – 3° trimestre de 2012

RESUMO FINANCEIRO

       

Segundo trimestre encerrado em 30 de setembro de 2012

(em milhões de US$, exceto para dados de participação acionária)

 
 
2º trimestre
12/13
 
2º trimestre
11/12
 
em relação ao ano anterior
CHG
Vendas 8.672   7.786   11%
Lucro bruto 1.050   947   11%
Margem de lucro bruto 12,1%   12,2%   -0,1 pontos
Despesas operacionais (844)   (781)   8%
Índice de despesas para receita 9,7%   10,0%   -0,3 pontos
Lucro operacional 206   166   24%
Outras despesas não operacionais (2)   (1)   47%
Receita antes dos impostos 204   165   24%
Tributação (41)   (20)   103%
Lucro no período 163   145   13%
Participação minoritária (1)   (1)   12%
Lucro atribuível aos acionistas 162   144   13%
Lucro por ação (centavos de US$)          
Básica 1,58   1,41   0,17
Diluída 1,55   1,38   0,17

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

More Stories By Business Wire

Copyright © 2009 Business Wire. All rights reserved. Republication or redistribution of Business Wire content is expressly prohibited without the prior written consent of Business Wire. Business Wire shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

@ThingsExpo Stories
Building low-cost wearable devices can enhance the quality of our lives. In his session at Internet of @ThingsExpo, Sai Yamanoor, Embedded Software Engineer at Altschool, provided an example of putting together a small keychain within a $50 budget that educates the user about the air quality in their surroundings. He also provided examples such as building a wearable device that provides transit or recreational information. He then reviewed the resources available to build wearable devices at home including open source hardware, the raw materials required and the options available to power s...
How do APIs and IoT relate? The answer is not as simple as merely adding an API on top of a dumb device, but rather about understanding the architectural patterns for implementing an IoT fabric. There are typically two or three trends: Exposing the device to a management framework Exposing that management framework to a business centric logic Exposing that business layer and data to end users. This last trend is the IoT stack, which involves a new shift in the separation of what stuff happens, where data lives and where the interface lies. For instance, it's a mix of architectural styles ...
We certainly live in interesting technological times. And no more interesting than the current competing IoT standards for connectivity. Various standards bodies, approaches, and ecosystems are vying for mindshare and positioning for a competitive edge. It is clear that when the dust settles, we will have new protocols, evolved protocols, that will change the way we interact with devices and infrastructure. We will also have evolved web protocols, like HTTP/2, that will be changing the very core of our infrastructures. At the same time, we have old approaches made new again like micro-services...
Connected devices and the Internet of Things are getting significant momentum in 2014. In his session at Internet of @ThingsExpo, Jim Hunter, Chief Scientist & Technology Evangelist at Greenwave Systems, examined three key elements that together will drive mass adoption of the IoT before the end of 2015. The first element is the recent advent of robust open source protocols (like AllJoyn and WebRTC) that facilitate M2M communication. The second is broad availability of flexible, cost-effective storage designed to handle the massive surge in back-end data in a world where timely analytics is e...
Collecting data in the field and configuring multitudes of unique devices is a time-consuming, labor-intensive process that can stretch IT resources. Horan & Bird [H&B], Australia’s fifth-largest Solar Panel Installer, wanted to automate sensor data collection and monitoring from its solar panels and integrate the data with its business and marketing systems. After data was collected and structured, two major areas needed to be addressed: improving developer workflows and extending access to a business application to multiple users (multi-tenancy). Docker, a container technology, was used to ...
The true value of the Internet of Things (IoT) lies not just in the data, but through the services that protect the data, perform the analysis and present findings in a usable way. With many IoT elements rooted in traditional IT components, Big Data and IoT isn’t just a play for enterprise. In fact, the IoT presents SMBs with the prospect of launching entirely new activities and exploring innovative areas. CompTIA research identifies several areas where IoT is expected to have the greatest impact.
The 4th International Internet of @ThingsExpo, co-located with the 17th International Cloud Expo - to be held November 3-5, 2015, at the Santa Clara Convention Center in Santa Clara, CA - announces that its Call for Papers is open. The Internet of Things (IoT) is the biggest idea since the creation of the Worldwide Web more than 20 years ago.
The Industrial Internet revolution is now underway, enabled by connected machines and billions of devices that communicate and collaborate. The massive amounts of Big Data requiring real-time analysis is flooding legacy IT systems and giving way to cloud environments that can handle the unpredictable workloads. Yet many barriers remain until we can fully realize the opportunities and benefits from the convergence of machines and devices with Big Data and the cloud, including interoperability, data security and privacy.
The Internet of Things is tied together with a thin strand that is known as time. Coincidentally, at the core of nearly all data analytics is a timestamp. When working with time series data there are a few core principles that everyone should consider, especially across datasets where time is the common boundary. In his session at Internet of @ThingsExpo, Jim Scott, Director of Enterprise Strategy & Architecture at MapR Technologies, discussed single-value, geo-spatial, and log time series data. By focusing on enterprise applications and the data center, he will use OpenTSDB as an example t...
The Internet of Things is not only adding billions of sensors and billions of terabytes to the Internet. It is also forcing a fundamental change in the way we envision Information Technology. For the first time, more data is being created by devices at the edge of the Internet rather than from centralized systems. What does this mean for today's IT professional? In this Power Panel at @ThingsExpo, moderated by Conference Chair Roger Strukhoff, panelists will addresses this very serious issue of profound change in the industry.
Scott Jenson leads a project called The Physical Web within the Chrome team at Google. Project members are working to take the scalability and openness of the web and use it to talk to the exponentially exploding range of smart devices. Nearly every company today working on the IoT comes up with the same basic solution: use my server and you'll be fine. But if we really believe there will be trillions of these devices, that just can't scale. We need a system that is open a scalable and by using the URL as a basic building block, we open this up and get the same resilience that the web enjoys.
We are reaching the end of the beginning with WebRTC, and real systems using this technology have begun to appear. One challenge that faces every WebRTC deployment (in some form or another) is identity management. For example, if you have an existing service – possibly built on a variety of different PaaS/SaaS offerings – and you want to add real-time communications you are faced with a challenge relating to user management, authentication, authorization, and validation. Service providers will want to use their existing identities, but these will have credentials already that are (hopefully) i...
All major researchers estimate there will be tens of billions devices - computers, smartphones, tablets, and sensors - connected to the Internet by 2020. This number will continue to grow at a rapid pace for the next several decades. With major technology companies and startups seriously embracing IoT strategies, now is the perfect time to attend @ThingsExpo, June 9-11, 2015, at the Javits Center in New York City. Learn what is going on, contribute to the discussions, and ensure that your enterprise is as "IoT-Ready" as it can be
Container frameworks, such as Docker, provide a variety of benefits, including density of deployment across infrastructure, convenience for application developers to push updates with low operational hand-holding, and a fairly well-defined deployment workflow that can be orchestrated. Container frameworks also enable a DevOps approach to application development by cleanly separating concerns between operations and development teams. But running multi-container, multi-server apps with containers is very hard. You have to learn five new and different technologies and best practices (libswarm, sy...
SYS-CON Events announced today that DragonGlass, an enterprise search platform, will exhibit at SYS-CON's 16th International Cloud Expo®, which will take place on June 9-11, 2015, at the Javits Center in New York City, NY. After eleven years of designing and building custom applications, OpenCrowd has launched DragonGlass, a cloud-based platform that enables the development of search-based applications. These are a new breed of applications that utilize a search index as their backbone for data retrieval. They can easily adapt to new data sets and provide access to both structured and unstruc...
The Internet of Things is a misnomer. That implies that everything is on the Internet, and that simply should not be - especially for things that are blurring the line between medical devices that stimulate like a pacemaker and quantified self-sensors like a pedometer or pulse tracker. The mesh of things that we manage must be segmented into zones of trust for sensing data, transmitting data, receiving command and control administrative changes, and peer-to-peer mesh messaging. In his session at @ThingsExpo, Ryan Bagnulo, Solution Architect / Software Engineer at SOA Software, focused on desi...
An entirely new security model is needed for the Internet of Things, or is it? Can we save some old and tested controls for this new and different environment? In his session at @ThingsExpo, New York's at the Javits Center, Davi Ottenheimer, EMC Senior Director of Trust, reviewed hands-on lessons with IoT devices and reveal a new risk balance you might not expect. Davi Ottenheimer, EMC Senior Director of Trust, has more than nineteen years' experience managing global security operations and assessments, including a decade of leading incident response and digital forensics. He is co-author of t...
SYS-CON Events announced today that MetraTech, now part of Ericsson, has been named “Silver Sponsor” of SYS-CON's 16th International Cloud Expo®, which will take place on June 9–11, 2015, at the Javits Center in New York, NY. Ericsson is the driving force behind the Networked Society- a world leader in communications infrastructure, software and services. Some 40% of the world’s mobile traffic runs through networks Ericsson has supplied, serving more than 2.5 billion subscribers.
While great strides have been made relative to the video aspects of remote collaboration, audio technology has basically stagnated. Typically all audio is mixed to a single monaural stream and emanates from a single point, such as a speakerphone or a speaker associated with a video monitor. This leads to confusion and lack of understanding among participants especially regarding who is actually speaking. Spatial teleconferencing introduces the concept of acoustic spatial separation between conference participants in three dimensional space. This has been shown to significantly improve comprehe...
Buzzword alert: Microservices and IoT at a DevOps conference? What could possibly go wrong? In this Power Panel at DevOps Summit, moderated by Jason Bloomberg, the leading expert on architecting agility for the enterprise and president of Intellyx, panelists will peel away the buzz and discuss the important architectural principles behind implementing IoT solutions for the enterprise. As remote IoT devices and sensors become increasingly intelligent, they become part of our distributed cloud environment, and we must architect and code accordingly. At the very least, you'll have no problem fil...