Welcome!

Websphere Authors: Plutora Blog, Javier Paniza, Pat Romanski, Elizabeth White, Liz McMillan

News Feed Item

Lenovo alcança um forte crescimento e atinge marcos no primeiro trimestre de 2014/15

O Grupo Lenovo informou hoje os resultados do primeiro trimestre fiscal concluído em 30 de junho de 2014, com receitas trimestrais de US$ 10,4 bilhões, um aumento de 18% ano-a-ano, enquanto a receita trimestral antes de impostos cresceu 22 por cento no ano-a-ano para US$ 264 milhões. Os lucros cresceram 23 por cento ano-a-ano para US$ 214 milhões, enquanto a empresa atingiu metas de participação de mercado e desempenho financeiro.

A Lenovo manteve sua terceira colocação no ranking em dispositivos inteligentes conectados, aumentando as vendas em 28 por cento ano-a-ano. Foi o maior fabricante mundial de PC por cinco trimestres consecutivos com a quota de mercado trimestral mais elevada que nunca, de 19,4 por cento* um aumento de 2,7 pontos ano-a-ano, impulsionado por grandes ganhos de participação em EMEA e nas Américas. As vendas de computadores pela Lenovo no primeiro trimestre subiram 15 por cento, totalizando 14,5 milhões de unidades, o 21º trimestre consecutivo em que a Lenovo supera a indústria como um todo. Em tablets, a Lenovo tornou-se o 3º maior fornecedor, com 2,3 milhões de dispositivos expedidos, um crescimento de 67 por cento, ou cerca de 8 vezes o ritmo deste mercado. Em smartphones, a Lenovo vendeu mais smartphones do que PCs pela primeira vez com o volume recorde de 15,8 milhões de unidades, um aumento de 39 por cento. Apesar da concorrência feroz na China, a Lenovo tornou-se o fornecedor de smartphones número 1 no país, com 13 milhões de celulares vendidos.

O lucro bruto da empresa no primeiro trimestre fiscal aumentou 13% em relação ao ano anterior para US$ 1,3 bilhão, com margem bruta de 13%. O lucro operacional do trimestre aumentou 40% ano-a-ano, totalizando US$ 283 milhões. Os ganhos básicos por ação no primeiro trimestre fiscal foram de 2,06 centavos de dólar, ou 15,97 centavos de HK (dólar de Hong Kong). As reservas líquidas de caixa em 30 de junho de 2014 totalizaram US$ 3,58 bilhões.

"Este tem sido um trimestre de marcos para a Lenovo - quota PC recorde, número três no ranking de tablets em todo o mundo pela primeira vez, e ainda mais forte, a quarta posição mundial em smartphones", disse Yuanqing Yang, presidente e CEO da Lenovo. "Enquanto a indústria de PC se recupera, o mercado de smartphones continua a sua mudança de premium para principal concorrente e nossas aquisições da Motorola Mobility e IBM x86 avançam em direção à conclusão, vemos ainda mais oportunidades para continuar crescendo rapidamente. A Lenovo continua a superar o mercado e satisfazer os nossos compromissos para melhorar a rentabilidade em nossos negócios principais, enquanto a construção de pilares fortes para o crescimento futuro em todo o nosso portfólio."

VISÃO GEOGRÁFICA GERAL

A Lenovo China registrou US$ 3,8 bilhões em receitas no primeiro trimestre fiscal, um aumento de 2% ano-a-ano, representando 36% das receitas da empresa no mundo. A Lenovo protegeu as receitas da China e as margens melhoraram lá em 0,3 pontos ano-a-ano até alcançar as margens operacionais de 5,5 por cento. Operacionalmente, reforçou sua liderança em PCs com 37,1% de participação. De acordo com a IDC, a Lenovo ultrapassou a Samsung para se tornar a maior fabricante de smartphones no país. Em dispositivos móveis, a Lenovo continuou a melhorar a rentabilidade com rotas ampliadas para o mercado e um maior foco em vendas pela Internet, de mercado aberto.

Na Europa/Oriente Médio/África (EMEA), a Lenovo teve um trimestre extremamente forte com o aumento das receitas de 49 por cento, ou US$ 921 milhões ano-a-ano para chegar a US$2,8 bilhões, ou 27 por cento da receita mundial da Lenovo no primeiro trimestre. A EMEA viu recordes de participação de PC e margem operacional, atingindo a posição número um em notebooks pela primeira vez e alcançando a primeira posição em 15 países da EMEA, enquanto as expedições de smartphones ultrapassaram 1 milhão de dispositivos pela primeira vez. Durante o trimestre, as vendas de PCs da Lenovo na EMEA aumentaram 4,8 pontos de participação ano-a-ano no trimestre para chegar ao mais alto de todos os tempos, de 18 por cento.

Na região da Ásia-Pacífico, a receita da Lenovo foi de US$ 270 milhões e totalizou US$ 1,6 bilhão no primeiro trimestre, ou 15% da receita mundial da empresa. A participação no mercado de PCs da Lenovo na Ásia-Pacífico cresceu quase dois pontos de participação ano-a-ano para chegar a 15 por cento. As expedições de smartphones na região foram de 1,5 milhões de unidades, um aumento de 3,7 vezes do mesmo período do ano anterior. Margem de lucro operacional na região foi de 4,1 por cento, drasticamente acima de 0,9 por cento um ano antes. Lenovo reforçou sua posição de número um no Japão, enquanto um melhor desempenho neste mercado levou a robustas melhorias de rentabilidade da região.

A receita nas Américas foi de US$ 2,2 bilhões no primeiro trimestre fiscal, um aumento de 19% em relação ao ano anterior, correspondendo a 22% da receita mundial da empresa. A margem de lucro operacional foi de 1,1 por cento, uma redução de 0,3 ponto em relação ao ano passado, quando a empresa continuou investindo na América Latina e no Brasil. A região Américas viu uma elevada quota de mercado PC recorde de 12,5 por cento, 23,7 por cento acima ou 3 pontos de participação de mercado ano-a-ano, bem como a participação recorde nos Estados Unidos, de 11,3 por cento, o que significa 1,5 pontos ano-a-ano .

VISÃO GERAL DO PRODUTO

Durante o primeiro trimestre fiscal, os computadores portáteis da Lenovo geraram 49 por cento da receita total da Lenovo. Em todo o setor, as expedições de laptops caíram 3,7 por cento ano-a-ano, uma melhoria em relação ao ano anterior, quando as quedas foram de cerca de 13 por cento ano-a-ano impulsionada pela atualização nas empresas e inovações na categoria. Ajudadas por esta tendências estabilizadora, as vendas consolidadas dos negócios de notebooks da Lenovo no mundo totalizaram no primeiro trimestre fiscal US$ 5,1 bilhões, um aumento de 12% ao ano. A empresa ganhou quase quatro pontos de participação e alcançou uma participação de mercado de 21%. Durante o primeiro trimestre, a Lenovo anunciou o ThinkPad 10, um tablet profissional de dez polegadas multimodo idealmente indicada para usuários de negócios, bem como os primeiros Chromebooks da empresa para consumidores, o N20 e N20p. Estes Chromebooks oferecem aos consumidores duas maneiras de aproveitar a experiência Chrome em uma forma fina e leve. A Lenovo também introduziu o laptop B50 para as pequenas empresas, e os laptops Z40 e Z50 para usuários mais focados em entretenimento.

A Lenovo assumiu a primeira posição em vendas de PC de mesa, que subiram 12,1 por cento ano-a-ano durante o primeiro trimestre fiscal, em comparação com um aumento geral do setor de 2,4 por cento. O aumento de 1,5 ponto de participação no ano-a-ano deu à Lenovo uma quota de mercado de desktop de 17,5 por cento. As vendas consolidadas dos PCs de mesa da Lenovo aumentaram 20 por cento ano-a-ano no primeiro trimestre para US$ 3,0 bilhões, ou 29 por cento da receita total de vendas da Lenovo. Durante o primeiro trimestre, a Lenovo introduziu vários novos PCs de mesa, começando com o desktop da Série A A540 AIO (all-in-one) desenvolvido para famílias e equipados com os mais recentes recursos de áudio e vídeo para desfrutar de conteúdo digital. A Lenovo também revelou sua recém-remodelada workstation básica ThinkStation P300, com uma flexibilidade incomparável, ideal para profissionais que precisam de um hardware de certificação de aplicações ISV a um preço razoável.

As vendas consolidadas dos produtos Mobile Device Business**da Lenovo, incluindo smartphones e tablets, aumentaram 32 por cento ano-a-ano durante o primeiro trimestre fiscal para US$ 1,6 bilhão, representando 15 por cento da receita total da empresa durante o trimestre. Na China, a Lenovo alcançou a posição número um em smartphones, e tornou-se a fabricante de tablets número 3 a nível mundial. Durante o trimestre, a Lenovo anunciou vários novos tablets Android série A, oferecendo configurações e tamanhos de tela para corresponder às necessidades dos consumidores, tanto para tablets ultra-portáteis e artistas multimídia. O portfólio inclui o TAB de sete polegadas A7-50, o TAB A8 de oito polegadas e o TAB A10 de dez polegadas, equipados com um teclado Bluetooth opcional.

A Lenovo continua a impulsionar a inovação em Smart Devices conectados, com um novo e empolgante smartphone, produtos empresariais e de ecossistema que chegarão na segunda metade de seu ano fiscal. A Lenovo está explorando novas oportunidades de crescimento centradas na Internet, conforme evidenciado no recente anúncio da plataforma de Desenvolvimento de Novos Negócios (NBD), onde a Lenovo está atraindo parceiros para impulsionar a inovação em novas categorias de hardware. Por fim, os esforços da Lenovo em ambas as transações de negócios Motorola Mobility e IBM servidores x86 permanecem em andamento e a empresa continua confiante em concluir ambas antes do final do ano.

* Veja os dados IDC do 2º trimestre de 2014, todos os dados de participação de mercado da IDC

** Anteriormente essas receitas foram informadas sob Mobile Internet e Digital Home (MIDH). A partir deste trimestre, será informado sob o título Dispositivo Móvel de Negócios.

SOBRE A LENOVO

A Lenovo (HKSE: 992) (ADR: LNVGY) é uma empresa de tecnologia pessoal avaliada em US$ 39 bilhões – a maior empresa de computadores do mundo, que atende clientes em mais de 160 países. Dedicados a produzir dispositivos de internet móvel e computadores excepcionalmente projetados, os negócios da Lenovo são criados a partir de inovação de produtos, uma cadeia global de suprimentos altamente eficiente e forte execução estratégica. Formada com a aquisição da antiga divisão de computadores pessoais da IBM pelo Grupo Lenovo, a empresa desenvolve, fabrica e comercializa serviços e produtos tecnológicos fáceis de usar, seguros, confiáveis e de alta qualidade. Suas linhas de produtos incluem os lendários computadores de consumo da marca Idea e os computadores comerciais da marca Think, além de servidores, estações de trabalho e uma família de dispositivos de internet móvel que inclui tablets e smartphones. A Lenovo, uma empresa mundial listada no ranking Fortune 500, possui importantes centros de pesquisa em Yamato, no Japão, em Pequim, Xangai e Shenzhen, na China, em São Paulo no Brasil, e em Raleigh, na Carolina do Norte, EUA. Para obter mais informações, acesse www.lenovo.com.

GRUPO LENOVO

RESUMO FINANCEIRO

Para o trimestre fiscal encerrado em 30 de junho de 2014

(em milhões de US$, exceto para dados de participação acionária)

     
 
Primeiro trimestre
14/15

Primeiro trimestre
13/14

Mudança em relação ao ano anterior
Receita 10.395   8.787   18 %
Lucro bruto 1.349   1.191   13 %
Margem de lucro bruto 13,0 % 13,6 % -0,6pts
Despesas operacionais (1.066 ) (989 ) 8 %
Relação Despesas/receita 10,3 % 11,3 % -1,0pts
Lucro operacional 283   202   40 %
Outras despesas/rendimentos não operacionais (19 ) 13   Não consta  
Receita bruta 264   215   22 %
Tributação (53 ) (45 ) 17 %
Lucro no período 211   170   24 %
Participação minoritária 3   4   -27 %
Lucro atribuível aos acionistas 214   174   23 %
EPS (centavos de dólar)
Básico
Diluído

2,06

2,03

 

1,67

1,65

 

0,39

0,38

 

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

More Stories By Business Wire

Copyright © 2009 Business Wire. All rights reserved. Republication or redistribution of Business Wire content is expressly prohibited without the prior written consent of Business Wire. Business Wire shall not be liable for any errors or delays in the content, or for any actions taken in reliance thereon.

@ThingsExpo Stories
Things are being built upon cloud foundations to transform organizations. This CEO Power Panel at 15th Cloud Expo, moderated by Roger Strukhoff, Cloud Expo and @ThingsExpo conference chair, addressed the big issues involving these technologies and, more important, the results they will achieve. Rodney Rogers, chairman and CEO of Virtustream; Brendan O'Brien, co-founder of Aria Systems, Bart Copeland, president and CEO of ActiveState Software; Jim Cowie, chief scientist at Dyn; Dave Wagstaff, VP and chief architect at BSQUARE Corporation; Seth Proctor, CTO of NuoDB, Inc.; and Andris Gailitis, C...
Recurring revenue models are great for driving new business in every market sector, but they are complex and need to be effectively managed to maximize profits. How you handle the range of options for pricing, co-terming and proration will ultimately determine the fate of your bottom line. In his session at 15th Cloud Expo, Brendan O'Brien, Co-founder at Aria Systems, session examined: How time impacts recurring revenue How to effectively handle customer plan changes The range of pricing and packaging options to consider
The Industrial Internet revolution is now underway, enabled by connected machines and billions of devices that communicate and collaborate. The massive amounts of Big Data requiring real-time analysis is flooding legacy IT systems and giving way to cloud environments that can handle the unpredictable workloads. Yet many barriers remain until we can fully realize the opportunities and benefits from the convergence of machines and devices with Big Data and the cloud, including interoperability, data security and privacy.
The 3rd International Internet of @ThingsExpo, co-located with the 16th International Cloud Expo - to be held June 9-11, 2015, at the Javits Center in New York City, NY - announces that its Call for Papers is now open. The Internet of Things (IoT) is the biggest idea since the creation of the Worldwide Web more than 20 years ago.
Today’s enterprise is being driven by disruptive competitive and human capital requirements to provide enterprise application access through not only desktops, but also mobile devices. To retrofit existing programs across all these devices using traditional programming methods is very costly and time consuming – often prohibitively so. In his session at @ThingsExpo, Jesse Shiah, CEO, President, and Co-Founder of AgilePoint Inc., discussed how you can create applications that run on all mobile devices as well as laptops and desktops using a visual drag-and-drop application – and eForms-buildi...
The Internet of Things is tied together with a thin strand that is known as time. Coincidentally, at the core of nearly all data analytics is a timestamp. When working with time series data there are a few core principles that everyone should consider, especially across datasets where time is the common boundary. In his session at Internet of @ThingsExpo, Jim Scott, Director of Enterprise Strategy & Architecture at MapR Technologies, discussed single-value, geo-spatial, and log time series data. By focusing on enterprise applications and the data center, he will use OpenTSDB as an example t...
Scott Jenson leads a project called The Physical Web within the Chrome team at Google. Project members are working to take the scalability and openness of the web and use it to talk to the exponentially exploding range of smart devices. Nearly every company today working on the IoT comes up with the same basic solution: use my server and you'll be fine. But if we really believe there will be trillions of these devices, that just can't scale. We need a system that is open a scalable and by using the URL as a basic building block, we open this up and get the same resilience that the web enjoys.
Code Halos - aka "digital fingerprints" - are the key organizing principle to understand a) how dumb things become smart and b) how to monetize this dynamic. In his session at @ThingsExpo, Robert Brown, AVP, Center for the Future of Work at Cognizant Technology Solutions, outlined research, analysis and recommendations from his recently published book on this phenomena on the way leading edge organizations like GE and Disney are unlocking the Internet of Things opportunity and what steps your organization should be taking to position itself for the next platform of digital competition.
SYS-CON Media announced that Splunk, a provider of the leading software platform for real-time Operational Intelligence, has launched an ad campaign on Big Data Journal. Splunk software and cloud services enable organizations to search, monitor, analyze and visualize machine-generated big data coming from websites, applications, servers, networks, sensors and mobile devices. The ads focus on delivering ROI - how improved uptime delivered $6M in annual ROI, improving customer operations by mining large volumes of unstructured data, and how data tracking delivers uptime when it matters most.
In their session at @ThingsExpo, Shyam Varan Nath, Principal Architect at GE, and Ibrahim Gokcen, who leads GE's advanced IoT analytics, focused on the Internet of Things / Industrial Internet and how to make it operational for business end-users. Learn about the challenges posed by machine and sensor data and how to marry it with enterprise data. They also discussed the tips and tricks to provide the Industrial Internet as an end-user consumable service using Big Data Analytics and Industrial Cloud.
How do APIs and IoT relate? The answer is not as simple as merely adding an API on top of a dumb device, but rather about understanding the architectural patterns for implementing an IoT fabric. There are typically two or three trends: Exposing the device to a management framework Exposing that management framework to a business centric logic Exposing that business layer and data to end users. This last trend is the IoT stack, which involves a new shift in the separation of what stuff happens, where data lives and where the interface lies. For instance, it's a mix of architectural styles ...
Almost everyone sees the potential of Internet of Things but how can businesses truly unlock that potential. The key will be in the ability to discover business insight in the midst of an ocean of Big Data generated from billions of embedded devices via Systems of Discover. Businesses will also need to ensure that they can sustain that insight by leveraging the cloud for global reach, scale and elasticity.
The Internet of Things (IoT) promises to evolve the way the world does business; however, understanding how to apply it to your company can be a mystery. Most people struggle with understanding the potential business uses or tend to get caught up in the technology, resulting in solutions that fail to meet even minimum business goals. In his session at @ThingsExpo, Jesse Shiah, CEO / President / Co-Founder of AgilePoint Inc., showed what is needed to leverage the IoT to transform your business. He discussed opportunities and challenges ahead for the IoT from a market and technical point of vie...
IoT is still a vague buzzword for many people. In his session at @ThingsExpo, Mike Kavis, Vice President & Principal Cloud Architect at Cloud Technology Partners, discussed the business value of IoT that goes far beyond the general public's perception that IoT is all about wearables and home consumer services. He also discussed how IoT is perceived by investors and how venture capitalist access this space. Other topics discussed were barriers to success, what is new, what is old, and what the future may hold. Mike Kavis is Vice President & Principal Cloud Architect at Cloud Technology Pa...
Dale Kim is the Director of Industry Solutions at MapR. His background includes a variety of technical and management roles at information technology companies. While his experience includes work with relational databases, much of his career pertains to non-relational data in the areas of search, content management, and NoSQL, and includes senior roles in technical marketing, sales engineering, and support engineering. Dale holds an MBA from Santa Clara University, and a BA in Computer Science from the University of California, Berkeley.
The Internet of Things (IoT) is rapidly in the process of breaking from its heretofore relatively obscure enterprise applications (such as plant floor control and supply chain management) and going mainstream into the consumer space. More and more creative folks are interconnecting everyday products such as household items, mobile devices, appliances and cars, and unleashing new and imaginative scenarios. We are seeing a lot of excitement around applications in home automation, personal fitness, and in-car entertainment and this excitement will bleed into other areas. On the commercial side, m...
"People are a lot more knowledgeable about APIs now. There are two types of people who work with APIs - IT people who want to use APIs for something internal and the product managers who want to do something outside APIs for people to connect to them," explained Roberto Medrano, Executive Vice President at SOA Software, in this SYS-CON.tv interview at Cloud Expo, held Nov 4–6, 2014, at the Santa Clara Convention Center in Santa Clara, CA.
An entirely new security model is needed for the Internet of Things, or is it? Can we save some old and tested controls for this new and different environment? In his session at @ThingsExpo, New York's at the Javits Center, Davi Ottenheimer, EMC Senior Director of Trust, reviewed hands-on lessons with IoT devices and reveal a new risk balance you might not expect. Davi Ottenheimer, EMC Senior Director of Trust, has more than nineteen years' experience managing global security operations and assessments, including a decade of leading incident response and digital forensics. He is co-author of t...
Performance is the intersection of power, agility, control, and choice. If you value performance, and more specifically consistent performance, you need to look beyond simple virtualized compute. Many factors need to be considered to create a truly performant environment. In his General Session at 15th Cloud Expo, Harold Hannon, Sr. Software Architect at SoftLayer, discussed how to take advantage of a multitude of compute options and platform features to make cloud the cornerstone of your online presence.
DevOps Summit 2015 New York, co-located with the 16th International Cloud Expo - to be held June 9-11, 2015, at the Javits Center in New York City, NY - announces that it is now accepting Keynote Proposals. The widespread success of cloud computing is driving the DevOps revolution in enterprise IT. Now as never before, development teams must communicate and collaborate in a dynamic, 24/7/365 environment. There is no time to wait for long development cycles that produce software that is obsolete at launch. DevOps may be disruptive, but it is essential.